Guia Essencial Para Explorar A Lousã

É, muito provável, que já tenhas ouvido falar da Lousã, uma charmosa vila rodeada de montanhas e que dista, apenas, 28 km de Coimbra.

Visitámos a Lousã, nos dias 8 e 9 de Outubro de 2017, uma semana antes dos fatídicos incêndios de Outubro, que assolaram Portugal, e também o concelho da Lousã. Quando chegámos à Lousã, no dia 8 de Outubro, o céu estava carregado de um fumo branco e denso, devido ao incêndio que ocorria a cerca de 50 km, em Pampilhosa da Serra. Quando partimos, o fumo que pairava sobre os céus ainda não tinha abandonado a cidade. Mas, jamais imaginámos, que uma semana depois, o próprio concelho da Lousã estaria a arder e que as paisagens que vimos estariam em risco iminente de desaparecerem tal como as havíamos conhecido.

Embora não possamos voltar atrás no tempo e reverter o que estes incêndios causaram, podemos contribuir para a reflorestação do nosso país e plantar as sementes para um futuro mais verde. Por este motivo, aproveitamos para partilhar convosco o Projecto” Uma Árvore Pela Floresta?”, com apenas 3€ podem comprar  uma árvore nos CTT . As árvores serão plantadas até à Primavera de 2018. Poderão comprar uma árvore até 31 de dezembro de 2017.   Não se preocupem que a plantação das árvores não se limitará a pinheiros e eucaliptos, antes pelo contrário. Ao comprarem uma árvore estão também  a assegurar a diversidade das florestas portuguesas. Podem consultar aqui o tipo de árvores que se irão plantar.

Razões para visitar a Lousã?

As razões para visitar a Lousã são mais que muitas. Esperamos que este guia com as nossas sugestões do que visitar e razões para visitar a Lousã vos deixe convencidos de que a Lousã é o local ideal para uma escapadinha de fim-de-semana ou para umas férias em plenitude com a natureza. 

Lousã

#1 Praia Fluvial da Senhora da Piedade & Castelo da Lousã

A Praia Fluvial da Senhora da Piedade encontra-se nas imediações do Castelo da Lousã. Por isso, será impossível visitarem a praia sem verem o castelo. Nesta praia irão também encontrar um baloiço, uma instalação artística criada pelo projecto: Isto é Lousã.

Embora não tenhamos conseguido uma boa foto do castelo da Lousã para vos mostrarmos, acreditem que tem um enquadramento encantador. Se não acreditam em nós pesquisem no Google “Castelo da Lousã

Instalação do projecto “Isto é Lousã” na Praia Fluvial da Senhora da Piedade, Lousã

#2 Serra da Lousã e Aldeias de Xisto

São 27 as Aldeias do Xisto, que se distribuem pela região centro do nosso país. Só a Serra da Lousã alberga 12 Aldeias do Xisto. Aigra Nova, Aigra VelhaCandal, Casal Novo, Chiqueiro, Ferraria de São João, Pena, Casal de São Simão,  Cerdeira, Comareira, Gondramaz e Talasnal. 

Adoramos o projecto das Aldeias do Xisto, achamos fantástico que “aldeias que estavam em ruína, a desaparecer, originaram um destino turístico premiado. É algo único e notável, por ter surgido num dos territórios mais desfavorecidos do interior do país.”

 

Talasnal, Serra da Lousã

Esperamos um dia vir a conhecer todas as Aldeias do Xisto, mas tínhamos pouco tempo e tivemos de escolher apenas uma para visitar. Escolhemos o Talasnal. Se tal como nós dispuserem de pouco tempo, podemos garantir que se escolherem o Talasnal  não se irão arrepender. Foi também nesta aldeia que pernoitámos e desfrutámos do silêncio  e quietude da serra.

Se tiverem mais tempo, não deixem de percorrer toda a Serra da Lousã de carro e conhecer quantas Aldeias de Xisto conseguirem. Se gostam de ser activos e de fazer caminhadas, este é também o destino para vocês. “São centenas os quilómetros de trilhos pedestres que atravessam as Aldeias do Xisto. (…) Os Caminhos do Xisto são percursos pedestres de pequena rota, em regra circulares, partindo e chegando ao mesmo ponto nas aldeias, e cujos trilhos muitas vezes eram caminhos usados por moleiros, pastores, agricultores, mineiros, entre tantos outros antigos ofícios.”

Talasnal, Serra da Lousã

Talasnal, Serra da Lousã

#3 Projecto “Isto é Lousã”: Baloiço do  Trevim

Já conhecem o projecto: “Isto é Lousã“? Foram as fotos deste popular baloiço que nos deram a conhecer este projecto. A par da iniciativa de recuperação  das Aldeias de Xisto, a criatividade do projecto “Isto é Lousã” é mais um dos motivos pelos quais ficámos rendidos à Lousã e ao seu papel activo na promoção e dinamização do turismo da região.

As instalações artísticas do projecto “Isto é Lousã” vão para além do baloiço do Trevim e levam-nos a conhecer e a desfrutar de lugares, que se não fosse este projecto, muito provavelmente, não conheceríamos ou não chegaríamos a parar para contemplar a paisagem.

O Baloiço do Trevim, tal como o nome indica, fica no Alto do Trevim, a 1200 metros de altitude, o ponto mais alto da Serra da Lousã.  Perceber a sua localização não é difícil. Só têm de sair da Lousã em direcção às Aldeias de Xisto e depois seguirem a placa que diz “Trevim”.

Baloiço do Trevim, Serra da Lousã

Trevim, Serra da Lousã

#4 Uma escapadinha de Outono perfeita

Quando saímos da Lousã em direcção à aldeia do Talasnal, deparámos-nos com as vibrantes cores de Outono que revestiam a serra. Comentámos entre nós que esperávamos que uma serra tão bonita como a da Lousã não fosse tomada pelos incêndios nos próximos anos. Admirámos a diversidade das suas árvores, que contrastavam com a habitual vegetação monótona de pinheiros e eucaliptos com a qual já nos habituámos a ver o nosso país revestido. Divagámos sobre o tempo, os anos, que estas árvores levaram a crescer para terem toda aquela altura e aparência robusta com a qual as conhecemos. Infelizmente, não sabemos precisar qual a extensão dos danos na paisagem da Lousã face aos incêndios de Outubro. Se souberem sintam-se à vontade para partilhar connosco nos comentários.

Do que conhecemos da Lousã quando a visitámos, considerámos que, pela explosão de cores de Outono, este seria um dos locais de Portugal mais adequados para uma escapadinha de Outono.

Serra da Lousã

Serra da Lousã

Na Serra da Lousã, zona onde abundam os castanheiros, o Outono é também sinónimo de apanhar castanhas. Numa das estradas da serra, já de regresso à Lousã encostámos o carro na berma da estrada. E, em menos de 10 minutos, tínhamos um saco cheio de castanhas para levar para casa. Foi a primeira vez que tivemos o privilégio de comer castanhas directamente apanhadas por nós.

Serra da Lousã

Saco cheio de castanhas apanhadas na Serra da Lousã

#5 Aqui nasceu o famoso Licor Beirão

A história deste ícone nacional começa na Lousã, no início do século XIX, numa farmácia onde se produziam medicamentos e licores naturais. Foi aqui que nasceu a receita secreta deste néctar. Anos mais tarde entrou em vigor uma lei que proibia a atribuição de propriedades medicinais às bebidas alcoólicas.

E, claro, esta não seria uma história completa sem ter uma pitada de romance. Um caixeiro-viajante de vinhos do Porto, de passagem pela Lousã, apaixonou-se pela filha do farmacêutico e acabaram por casar. O jovem casal decidiu não deixar a tradição do licor morrer e decideu abrir uma pequena fábrica.

Foi só em 1929 que o licor que já era produzido nesta vila há mais de um século se começou a chamar “Licor Beirão”.

Licor Beirão

“O licor continuou a ser comercializado, mas em 1940 as dificuldade económicas que vieram com a II Grande Guerra determinaram a venda da fábrica. Foi José Carranca Redondo, que era ali funcionário, que acabou por comprar a fábrica e também o segredo. Carranca Redondo decide apostar na comunicação publicitária, correndo todo o país deixando outdoors que muito contribuíram para a bebida obter o sucesso que tem hoje.

O licor é produzido na Quinta do Meiral, próximo da Lousã, sendo utilizados na sua fórmula de produção sementes e algumas partes de plantas aromáticas originárias da serra da Lousã”

Onde dormir? 

Por termos uma profunda admiração pelo projecto de recuperação das Aldeias do Xisto e por querermos, de alguma forma, contribuir e apoiar aqueles que directamente decidiram investir na recuperação destas aldeias, decidimos que iríamos pernoitar numa Aldeia de Xisto.

Inicialmente, queríamos pernoitar no alojamento: Cerdeira Village – Schist Village, por ter uma localização idílica no coração da Serra de Lousã, aliada a uma decoração adorável e moderna. Mas, infelizmente, não havia vagas para as nossas datas.

Encontrámos o alojamento “Talasnal, Montanhas do Amor“, que como o nome indica, fica no Talasnal. Optámos pela “Casa de 1 Quarto com Vistase pagámos 60€/noite. A casa é pequena e simples. O quarto tem televisão, uma decoração encantadora e vista para a serra.

Se preferirem ficar alojados na Lousã, um alojamento que também gostávamos muito de experimentar é o Palácio Boutique Hotel da Lousã, que fica mesmo no centro da vila da Lousã.

Talasnal, Montanhas de Amor: Alojamento

Talasnal, Montanhas de Amor: Alojamento

Onde comer?

Durante a nossa estadia na Lousã ansiávamos por comer comida tradicional desta região. Andávamos com curiosidade para experimentar uma chanfana ou um cabrito assado.

De acordo com algumas sugestões que recebemos dos nossos leitores e comentários online, os restaurantes “Ti Lena“, na Aldeia do Talasnal e “O Burgo” na Lousã são os melhores locais para quem procura provar a gastronomia local. No entanto, não tivemos muita sorte….  Ligámos para o restaurante “Ti Lena” e disseram-nos que, nesta altura do ano, só serviam grupos. Ainda no mesmo dia, fomos até ao restaurante “O Burgo” só para o encontrarmos fechado.

Se forem à Lousã e quiserem experimentar um destes restaurantes, deixamos-vos aqui os contactos. Pode ser que tenham mais sorte do que nós:

Ti Lena: 911 932 948/O Burgo:  239 991 162

Embora não tenhamos provado a gastronomia local, encontrámos um espaço muito original e com uns óptimos hambúrgueres artesanais, o Q.b. Restobar.  Não se esqueçam de ir à casa de banho, tem uma decoração peculiar e engraçada.

Para além dos hambúrgueres, também servem outros pratos como risotto e massas. Sabem o que ainda nos fez gostar mais deste lugar, para além da decoração divertida e da boa comida? O preço! Pedimos bolo do caco de entrada e uma mesa com queijos (não eram queijos regionais, mas eram deliciosos. Tinham queijo brie, inclusive! Nhami, nhami!), 2 hamburgueres de vaca, 2 bandidas do pomar para beber e um café e pagámos apenas 20,60€!

Claramente este não é o local para quem procura comida tradicional. No entanto, se procuram um lugar diferente e agradável, recomendamos vivamente. Nem que seja só para conhecer o espaço. Beber uma cerveja ou comer uma sobremesa que também tinham um aspecto tentador.

Q.b. Restobar, Lousã

Sempre que possível adoramos provar os doces tradicionais de cada região. Devido à abundância da castanha na Serra da Lousã, existem vários doces onde a castanha é o elemento principal. Decidimos levar uma caixinha de pastéis de castanha para provar.

Já visitaram a Lousã? Qual o vosso local favorito? O que não podemos perder numa próxima visita?

Lara Oliveira

2 Comments

  1. Responder

    Artur Ferrão

    27 Novembro, 2017

    Depois de ler o belo artigo, não podia deixar de vir cá dizer que felizmente os locais por onde passaram estão intactos. Este ano foram poupados pelo fogo e espero sinceramente que assim continue para sempre…
    Reforço também que uma ida à Cerdeira é fundamental. As aldeias são todas bonitas, mas pelo seu enquadramento paisagístico a Cerdeira é especial. É apenas a minha opinião pessoal, mas recomendo vivamente.

    • Responder

      Lara Oliveira

      29 Novembro, 2017

      Artur, muito obrigada pelo seu simpático comentário! Ficamos felizes e aliviados por saber que os locais por onde passámos ficaram intactos. Ficamos também muito agradecidos pela recomendação. Na nossa próxima visita à Lousã não deixaremos de incluir a Cerdeira no nosso itinerário 😉

LEAVE A COMMENT

RELATED POSTS