Encantos do Alentejo: Mértola e Pulo do Lobo

Tanto eu como o Valter somos nascidos e criados no Alentejo. E, que sortudos que somos, por poder chamar casa a uma região tão bonita e encantadora como esta. Mértola não fica muito longe de onde vivemos.

Mértola

Esta não foi a nossa primeira visita a esta encantadora vila. Já por cá tínhamos passado. Gostámos tanto que não resistimos a voltar. Desta vez queríamos ficar, pelo menos, uma noite.

Achámos que Mértola merecia mais atenção. E, se já andávamos com vontade de cá pernoitar, quando encontrámos o acolhedor alojamento da Casa da Tia Amália disponível por 25€/noite, uma pechincha portanto, ficámos radiantes de felicidade e reservámos de imediato.

Mértola

Mértola

Para além de Mértola ser por si só um sítio que merece uma visita, nas suas proximidades encontra-se o Pulo do Lobo. Um lugar que ainda não tínhamos tido oportunidade de visitar, mas de que já muito tínhamos ouvido falar.

Pulo do Lobo, Mértola

O Pulo do Lobo destaca-se por ser a maior cascata do Sul de Portugal e por se localizar num ambiente tão árido como o nosso Alentejo.

Também é possível aceder ao Pulo do Lobo a partir da cidade de Serpa, desembocando na margem oposta à que se acede partindo de Mértola. No entanto, para conseguirem ver a queda de água no seu esplendor o melhor mesmo é partirem de Mértola, pois do lado oposto terão uma visibilidade um pouco mais reduzida e não conseguirão avistar a cascata na sua totalidade. Apenas desfrutar do seu som e ver a água a cair.

Pulo do Lobo, Mértola

Pulo do Lobo, Mértola

Como chegar ao Pulo do Lobo partindo de Mértola?

“Faça um desvio na estrada que liga Beja a Mértola e siga até à aldeia de Amendoeira da Serra, seguindo as indicações até ao Pulo do Lobo. Chega então à Herdade de Pulo do Lobo, abra a cancela e são cerca de 1000m em estrada de terra até à cascata. O acesso é interdito a veículos pesados.” Informação retirada do site Roteiro do Alqueva

Sabiam que Mértola é apelidada de vila museu?

As escavações arqueológicas não são raras em Mértola, foram elas que nos anos 80 permitiram descobrir e compreender melhor o seu passado.

O rio Guadiana atravessa a vila e continua o seu curso, indiferente à sua crucial importância no desenvolvimento de Mértola e no controlo das rotas comerciais. Algures no ano de 711, com a invasão dos povos de Norte de África e também devido à sua privilegiada posição geográfica, Mértola atinge o auge da sua função comercial e chega inclusive a ser capital de um pequeno emirado islâmico independente, a taifa de Mértola.

Hoje, Mértola orgulha-se das suas raízes árabes e o Museu de Mértola tem um núcleo de Arte Islâmica. Em Maio deste ano, à semelhança dos anos anteriores irá decorrer o Festival Islâmico de Mértola (18- 21 Maio de 2017). E, nós já estamos a ansiosos por voltar a visitá-la nessa altura.

O que comer? Onde?

Já que estão no Alentejo não podem perder a oportunidade de provar as tão famosas migas alentejanas. Um dos nossos restaurantes favoritos para o fazer é o “Alengarve“.

Onde dormir?

Mértola tem uma boa oferta de  alojamentos. Nós recomendamos vivamente a Casa da Tia Amália. É um alojamento simples, mas muito bem decorado e com uma excelente relação qualidade preço. Quartos duplos a partir de 25€/noite.

A Casa da Tia Amália localiza-se na outra margem do rio Guadiana, a essa margem deu-se o nome de “Além Rio”. No entanto, o que separa a localidade de Além Rio de Mértola não é mais do que a distância da ponte que conecta as duas margens. Ainda bem que escolhemos a margem de Além Rio para ficar alojados, só assim pudemos usufruir de vistas arrebatadoras para a vila de Mértola.

Se quiserem pequeno-almoço apenas terão de pagar mais 5€/pessoa. O pequeno-almoço é servido na Casa Amarela. Uma casa, que como podem calcular é amarela, e tem uma das melhores vistas para a vila. Se não quiserem tomar o pequeno-almoço poderão vir até aqui usufruir de uma bebida ou mesmo almoçar.

Casa Amarela, Mértola

Já visitaram Mértola? O que acharam? O que nos recomendariam conhecer ou experimentar numa próxima visita?

Lara Oliveira

4 Comments

  1. Responder

    Catarina Gralha

    25 Abril, 2017

    Há muitos anos (muitos mesmo, mais de 15) fui a Pulo do Lobo com a minha mãe. No entanto, não tive a sorte de ver a cascata de que falam: tinha sido um verão extremamente quente, e o rio estava praticamente seco. Terei de voltar, de preferência antes de fazer 20 anos desde que lá estive pela primeira vez 🙂

    • Responder

      Lara Oliveira

      27 Abril, 2017

      Catarina, que bom saber que está a pensar voltar ao Pulo do Lobo. Esperamos que desta vez tenha mais sorte e consiga ver a Cascata no auge do seu esplendor, cheia de água. Um beijinho

  2. Responder

    Tatiana Mendonça

    2 Maio, 2017

    Também já tive a sorte de lá ir, e posso partilhar convosco mais fotos da magnifica cascata. 😃😃

    • Responder

      Lara Oliveira

      3 Maio, 2017

      Tatiana, que bom saber que visitou o Pulo do Lobo. Adoraríamos ver as suas fotos! Sinta-se à vontade para nos enviar por email ou através da nossa página do facebook 😉 Um beijinho

LEAVE A COMMENT

RELATED POSTS